BC: Energia e Juros sobem ainda mais no ano

O Banco Central revisou a projeção para reajuste do preço da eletricidade de 38,3% para 43,4%, este ano.

A informação está no Relatório de Inflação divulgado trimestralmente. A estimativa de redução na tarifa de telefonia fixa passou de 4,1% para 3%.

A projeção para a variação do conjunto dos preços administrados por contrato e monitorados é de 13,7% para 2015, ante 11% considerados no relatório anterior, divulgado em março.

Segundo o Banco Central, essa projeção considera variações ocorridas, até maio, nos preços da gasolina (9,3%) e do gás de bujão (4,3%), além das estimativas para a tarifa de telefonia fixa e eletricidade.

Para 2016, a estimativa é 5,3% para os preços administrados, a mesma projeção de março.

Ao mesmo passo, a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito subiu 13,1 ponto percentual em maio e atingiu 360,6% ao ano. Já a taxa do cheque especial subiu 6 pontos e chegou a 232% ao ano.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira (23) pelo Banco Central.

A taxa média de juros cobrada do consumidor subiu 1,2 ponto percentual, passando de 56,1% ao ano em abril para 57,3% ao ano em maio. Com isso, se mantém no maior valor desde que os dados começaram a ser compilados pelo BC, em março de 2011.

Essas taxas se referem aos recursos livres, em que os bancos têm autonomia para aplicar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros. Não inclui, portanto, financiamento imobiliário, crédito rural e empréstimos do BNDES.

Para os financiamentos direcionados, os juros tiveram alta de 0,3 ponto, para 9% ao ano.